Siga-nos no Facebook

A vida é um mar de rosas, mas quando é mal acarinhada vira um mar de espinhos


Hoje acordei e flagrei a minha auto-estima ganhando gorduras de um embondeiro, isto é, dilatava-se voluptuosamente. Convocava o estado de espírito que considero apropriado para a minha alma exibir sua própria essência, ganhar uma e única direcção, largar as muletas, sentir-se mais viva que nunca, trilhar o caminho mais fértil do mundo e rumar ao oásis do sucesso.

 Depois de tantos dias de depressão e desmotivação, a voz do ego Freudiano beijou-me a audição e discursou: "tu és capaz, podes conseguir tudo que desejas, és mais forte que a tempestade, pois diferentemente dela, tens o coração e a razão que te guiam. Deste modo, não fiques inerte e desnorteado, porque tudo depende de ti, se quiseres prosperar deves erguer a cabeça e batalhar, visto que: nada vem do nada, tudo requer esforço, de braços cruzados nada virá ao seu encontro. Além disso, só vence quem vai a luta, porque as derrotas nos fortalecem. Então, levanta-te e viva a vida que ela já espera por ti. Não te esqueças que a vida é um mar de rosas, mas quando é mal acarinhada vira um mar de espinhos."

Na verdade, já se passava bastante tempo que não me cruzava com um dia como este, e, consequentemente, andava muito deprimido, não conseguia ver nenhuma luz no meu mundo. Vivia a vida apenas por viver. Vivia sem a minha língua saber o sabor do sucesso. Sentia-me submerso num mar de escuridão, encarcerado numa estrada adornada de espinhos, desnorteado numa esfera inexistente.

O discurso acima deu mais coloração à minha vida. Copas, escamas, feras psico-emocionais que pisavam a minha auto-confiança se divorciaram de mim. Hoje sinto-me mais leve como se tivesse tido o primeiro banho depois de vários séculos de abstenção.
Confesso: hoje é o dia mais lindo, dentre muitos que já vivi. Um dia como este é uma jóia cara na montra da joalharia mais concorrida do mundo; é um diamante na mira dum garimpeiro.
Em suma, hoje renasci, ganhei novas raízes, novo cordão umbilical, novo nome, novo corpo, nova alma, nova essência, voltei a ser alguém. Já consigo abrir os olhos e ver a minha imagem estampada no citoplasma do futuro promissor, isto é, RENASCI.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Entrevista com Pré-Destinada [ser poeta é assumir a veia da demência]

Entrega